Posts Tagged ‘Educação Infantil’

Reggio Emília: uma abordagem artística na educação infantil

19 outubro, 2009

No dia 29/09/2009 ministrei uma aula no curso de Pedagogia da   Universidade São Judas Tadeu -USJT-  a convite da profa. Dinéia Hypolitto. Para o profissional da educação e da área de artes, é sempre prazeroso contribuir com minhas futuras colegas e transmitir para elas a importância da Arte para a  aprendizagem da criança. Após a aula, prometi a(os) aluna(os) que deixaria aqui no blog as novas publicações sobre essa escola, sob o tema “escola de educação infantil italiana Reggio Emília”.  Para entender um pouco mais sobre o contexto da escola leia um pouco sobre o seu surgimento em Histórico da Reggio Emília e, os sites que indico na página Abordagem Reggio Emília .

Na edição da Revista Criança do professor de educação infantil no. 43 foi publicado  uma  entrevista com Bruna Elena Giacopini e Lanfranco Bassi  Reggio Emília: uma experiência inspiradora”, realizada por Vitória Faria e Alex Criado. Esta reportagem está muito interessante.

Também publicou, a partir da página 19,  e os integrantes do GAE – grupo ambiental de educação – o artigo escrito por Angélica Miranda do RJ/Rj e outros autores “Arquitetura e educação juntas para uma educação infantil melhor” que fala  sobre os espaços do ambiente escolar e sua importância para a aprendizagem da criança. Para a abordagem Reggio Emília o espaço de aprendizagem é muito importante, por isso aconselho que  leia.

A  revista também traz  para você o artigo sobre  “Faz de conta: invenção do possível” escrito por  Adriana Klisys de BH/MG, que muito lhe ajudará na disciplina de psicologia.

A edição 44  da Revista Criança do professor de educação infantil, por Joseli Pereira Lobo – professora de educação infantil da rede municipal de BH – escreve sobre “Um currículo centrado na arte”, continuando o tema da revista anterior. E, para aprofundar  um pouquinho mais em educação centrada na pessoa, sairemos da Revista Criança um pouquinho e vamos passear por outros links e ler sobre essa teoria de Carl Rogers em:  Humanismo – Carl Rogers e Concepção de Carl Rogers sobre aprendizagem.

De volta à revista,  Angélica Miranda realizou uma entrevista com a professora Léa Tiriba  com o tema  “Consciência Ecológica se aprende com o pé no chão”, muito boa também. Arrume um tempinho e leia com muito carinho, o planeta Terra agradece!

Bibliografia

http://revistaescola.abril.com.br/edicoes/0153/aberto/mt_244113.shtml

EDWARDS, Betty. Desenhando com o lado direito do cérebro. 10. ed. rev. ampl. Rio de Janeiro: Ediouro, 2005.

EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAN, George. As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância . Porto Aelgre, RS: Artmed, 1999.

FUSARI, Maria Felisminda de Rezende e; FERRAZ, Maria Heloisa Correa de Toledo. Arte na educação escolar. São Paulo: Cortez, 1993.

LEENHARDT, Pierre. A criança e a expressão. Lisboa: Editora Estampa, 1973.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar. 2 ed., São Paulo: Cortez,1995.

MAHONEY, Abigail A. e ALMEIDA, Laurinda R do. A constituição da pessoa: na proposta de Henry Wallon. São Paulo: Ed. Loyola, 2002.

PARRAMON, Jose Maria. Luz e sombra em desenho artístico. Rio de Janeiro: Ibero-americano, 1986.

ROGERS, Calrs R. “Liberdade de aprender em nossa década”. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

_____________. “Tornar-se pessoa”. Trad. Manuel J. C. Ferreira, 5 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

Boa leitura.

Elisa Mello Kerr

Anúncios

Avaliação escolar

3 setembro, 2008

Muitos de meus visitantes comentam que se sentem inseguros para avaliar seus alunos. Acho normal essa dificuldade. Muitos de nós passamos toda a vida escolar sendo avaliados por uma escola tradicional e agora tudo muda. Passamos a vida sendo avaliados pelo que sabíamos no dia da prova, e agora temos que aplicar a avaliação formativa. Não fomos ensinados a avaliar e, sem que percebamos, estamos avaliando do mesmo jeito com que fomos avaliados em nossa infância e adolescência. Muitas vezes temos dificuldades de nos livrar desse ranço que ainda persiste em nós e em algumas escolas. É por isso que repito o que aprendi: “temos que ler muito e sobre avaliação mais ainda”.

Teoria e prática precisam andar de mãos dadas, mas para que isso ocorra, para que a prática se concretize com tranqüilidade, é necessário muita teoria no início.

O site educanaweb, construído por educadores portugueses, tem um espaço dedicado a avaliação escolar. É muito dinâmico, se atualiza com freqüência e trata de diversas teotrias : portfólio, Motessori, Freinet, Dewey etc . É o tipo de site que deve ser visitado freqüentemente, pois estão sempre agregando novos artigos sobre o assunto. Para visitá-los é só clicar aqui.

Boa pesquisa.


Bem vindo 1º ano da Pedagogia da USJT – 2008

11 agosto, 2008

Olá aluno(as) do 1ª ano do curso de Pedagogia da Universidade São Judas Tadeu da turma de 2008. É com grande satisfação que recebo a visita de vocês no blog a pedido da Prof.ª Dinéia Hypolitto, da disciplina de Educação Infantil. Sinto-me lisonjeada em poder ajudá-los com algumas informações sobre a escola Reggio Emília. Para conhecer um pouco mais sobre a história e surgimento da escola Reggio Emília, vá para a página Da destruição surge um sonho: uma pequena escola. Para conhecer sua abordagem e o trabalho e desenvolvimento com as crianças, dirija-se à página Criança Rupestre, na qual encontrará algumas reportagens e entrevistas muito interessantes para nós, educadores.

Assistam ao vídeo do prof. Pacheco, lá de Portugal, da Escola da Ponte, na página do YouTube. Depois vocês passearão na página da Escola da Ponte. Assim, vocês estarão conhecendo duas abordagens diferentes que trabalham com projetos interdisciplinares.

Sinto-me mais feliz ainda em poder contribuir com vocês transmitindo um pouco do que sei sobre a importância da arte para o desenvolvimento infantil.

Esse ano faremos a Oficina de Papel Machê e, para que vocês vislumbrem o tipo de trabalho que podemos realizar, vou indicar o blog da Manú Pink. Ela é aluna do curso de pedagogia de Visconde de Cairú na Bahia, e publicou, em seu blog, as fotos da exposição com bonecos de papel machê confeccionados na disciplina de Ludicidade.

Exposição de Bonecos

Exposição de Bonecos de Visconde de Cairú - BA

Quanto à Oficina de Papel Machê que faremos nos dias 18, 19 e 25 de agosto, passo a vocês o cronograma:

Para o dia 18 de agosto:

1– Levem a polpa de papel pronta. Segue abaixo algumas receitas de papel machê; escolha uma delas e faça.

1ª RECEITA é feita com papel higiênico:

Material:

1/2 rolo de papel higiênico,

1 litro de água,

2 colheres de sopa de vinagre;

2 a 3 colheres de sopa de gesso,

2 a 3 colheres de sopa de farinha de trigo,

1 tubinho de cola branca (das boas)

Preparo: pique bem o papel e deixe de molho na água por 24 horas. Depois coloque numa panela e deixe cozinhar por uma hora. Se precisar, acrescente mais água. Após o cozimento, acrescente o vinagre, mexa bem e deixe a polpa esfriar. Escorra a polpa numa peneira e depois guarde na geladeira dentro de um saco plástico bem vedado. A polpa de papel está pronta para ser usada na aula . Essa polpa, se armazenada na geladeira, conserva-se por 48 horas. Os outros materiais serão acrescentados no momento da execução do trabalho.

2ª RECEITA é feita com aparas de papel: (rascunhos, sobras de cadernos etc.)

Material:

15 folhas de papel,

1 litro de água,

2 colheres de sopa de vinagre;

2 a 3 colheres de sopa de gesso,

2 a 3 colhres de sopa de farinha de trigo,

1 tubinho de cola branca (das boas)

Preparo: pique bem o papel e deixe de molho na água por 24 hora. Depois coloque um pouco do papel picado no liquidificador com a água do molho (acrescente água para não danificar o liquidificador) e triture bem. Após triturar todo o papel picado, acrescente o vinagre, mexa bem. Escorra a polpa numa peneira e depois guarde na geladeira dentro de um saco plástico bem vedado. Agora a polpa de papel está pronta para ser usada na aula . Essa polpa, se armazenada na geladeira, conserva-se por 48 horas. Os outros materiais serão acrescentados no momento da execução do trabalho.

Nota: Escolha entre essas duas receitas a que você achar melhor. O resultado do trabalho será o mesmo. Não precisa fazer as duas receitas, é uma ou outra.

2 – Modelos impressos de máscaras ( para que a criança possa ver e saber o que fazer);

3 – Tesoura;

4 – Jornal velho;

5 – fita crepe;

6 – Pincel largo;

7 – Copinho descartável;

8 – Bandejinhas de isopor ou pratinhos descartáveis;

9 – Bexiga (bola de aniversário), rolinho de papel higiênico ou de papel toalha;

10 – Cola branca e seis palitos de sorvete ou churrasco.

Dia 19 de agosto:

1 – Tinta guache, ou acrílica;

2– Pincéis, lantejolas, griter, peninha, coisinhas para enfeitar (aqueles artefatos que todo pedagogo carrega em sua bagagem);

3 – Fita crepe;

4 – Cola Branca.

Creio que o material não secará de um dia para o outro, então, faremos outros trabalhos nesse ínterim. No dia 25 nós finalizaremos a oficina.

Somente hoje, dia 16/08, pude terminar a máscara feita com papel machê que levarei para vocês amanhã. Vejam como ficou.

Mácara de papel marchê confeccionada pela profª Elisa Kerr

Máscara de papel machê - profª Elisa Kerr

Espero estar à altura da expectativa de vocês. Qualquer dúvida ou dificuldade é só falar. Bom Trabalho pessoal, e mãos à obra.